O cigarro tem forte relação com a artrite reumatoide

14/08/2017 15:21

Pílulas de Saber: o cigarro tem forte relação com a artrite reumatoide Patrick Rodrigues/Ver DescriçãoEstudo apresentado no Congresso Europeu de Reumatologia (EULAR) 2017 confirmou a ligação entre o hábito de fumar e o risco de desenvolver artrite reumatoide (AR). No entanto, curiosamente, também sugeriu pela primeira vez que, nos fumantes, a exposição ao fumo no início da vida através do fumo passivo na infância aumentou significativamente esse risco. Fumo passivo é o que ocorre quando uma pessoa é obrigada a respirar a fumaça exalada do cigarros de outros.

Em um segundo estudo, os resultados preliminares de uma meta-análise mostraram que o fumo está associado ao aumento da progressão do dano estrutural na coluna vertebral em pacientes com espondilite anquilosante(EA). Outra razão importante pela qual os reumatologistas devem encorajar os pacientes com EA a pararem de fumar.

Futuro virando fumaça

Para analisar o impacto do tabagismo ativo e passivo no risco de desenvolver AR, uma grande população de mulheres voluntárias nascidas entre 1925 e 1950 foi acompanhada prospectivamente desde 1990. A exposição passiva ao fumo durante a infância aumentou a associação entre o risco de AR e o hábito de fumar de adultos. Nas fumantes que tiveram exposição passiva na infância à fumaça, a proporção de risco foi de 1,73 (ou quase duas vezes maior) em comparação com as não fumantes não expostas durante a infância. Em contraste, a razão de risco foi de 1,37 em fumantes ativos não expostos a fumaça passiva durante a infância.

Esse estudo destaca a importância de evitar crianças em qualquer ambiente com fumo de cigarro, especialmente crianças que tenham história de familiares com AR.

Vício incapacitante

A artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica das articulações, que afeta cerca de 0,5 a 1% da população em geral e causa destruição articular progressiva, deficiência e redução da expectativa de vida. Nos últimos anos, muitos fatores ambientais potenciais foram associados a um risco maior de desenvolver AR, mas até agora o tabagismo é o mais importante.

O tabagismo também acelera a progressão de outra doença inflamatória articular crônica que afeta a coluna vertebral, a espondilite anquilosante (EA). A EA é uma forma dolorosa, progressiva e incapacitante de artrite causada por inflamação crônica das articulações na coluna vertebral. Fumar, entre outros fatores de risco, aumenta o risco de desenvolver EA.

Carlos Rogério Tonussi